Vejo rostos

Vejo rostos, de todos, iguais

Ou será o olho, que uso um só?

À visão única, achatada

Então, os iguais, os vejo divisão

Ou são os tantos desiguais que se fazem máscara comum?

Vejo-os iguais: pupilas, almas, lágrimas,

Expressão…

Expressão?

Pressão: assim reprimem-se

Impressiona o quanto são iguais, aos montes,

Quantos são?

Ladeira abaixo dessas ruas que desandam e

Derramam, tal formigas, a multidão

Devem ser múltiplos de um: fotocópias

Um amontoado de mesma matriz

Sem raiz

Fotofóbico:

Serei esse, olho anômalo, que enxerga, espelho,

reflexos de um eu apático transformado em multidão?

Contaminei

Formigam-me perspectivas:

E vejo só um exército de iguais

E vejo, só, mesmo cego, um exército de guai

Guai

Vejo só o espelho

Em cada qual desses múltiplos iguais

Guai Guai Guai

Eco…

Ecco:

Ceguei

E, de repente, o que houve do real?

O que se ouve? O que ouviria devir?

Existe?

Formigam-me, humanos, os iguais, pela pele

Pés ou patas?

Perseguem-me

Empatam-me em significado:

Somos insignificantes

Por isso impactam: compactam-me

Pactuam da mesma visão divisão cega a olhos vistos,

Vazados desse olho meu

Que incide em única realidade: dos múltiplos todos iguais

Uccide…

Sul incide

Suicide…

Então os vejo, estampas,

Em série

Cobrindo-me a pele

Vedando-me

E, vencido, rendi-me

Vendido,

Passei a ver um olho só

Passei a sê-lo, sem qualquer legitimação

Passei a vê-los, todos os iguais:

Rostos, restos, corpos…

Letais

Formigas da carne

Esses todos iguais

Patas pela pele das quais, cego,

Não consigo desvencilhar

E que me levam: carregam-me nas costas

Nascosto sigo

Desses, e como esses: todos iguais

Ilustração: Maria Lúcia Nardy

Veja mais

Letra à bala

Letra à bala

Perguntaram ao escritor, inventor de frases, o que lhe surtia idéias. Como as sortia, caixa-surpresa, versando sobre o que não se viu, ouviu dizer ou nem mesmo se tentou em entendimentos? De que...

ler mais
Às vésperas do fim do mundo

Às vésperas do fim do mundo

Tinha-me como companhia… Num dia comum, desse meio de semana, desses dias que se quer evitar viver. Sim, já quis evitar viver. Quem não?… Quem não desistiu-se a alma, num dia desses, de uma quarta,...

ler mais
A vida segundo

A vida segundo

A vida segundo… A vida segundo os teóricos é plana, Um plano: explicável, concebível, formatável, executável É limitada, assim como os teóricos Plena? Só uma hipótese Mas a vida não é segundo A vida...

ler mais
Caça ao tesouro

Caça ao tesouro

Revisando gavetas à procura de moedas. Tal fosse brincadeira de criança: caça ao tesouro. Reboliços por centavos. Das quatro gavetas da estante da sala, aquela seria a última tentativa, e mesmo...

ler mais
A chave da fenda

A chave da fenda

Uma chave: é o que me sustenta a mão. Mais que dedos, ossos ou músculo; mais que força motora ou impressões digitais. Uma chave se faz todo espaço da minha palma; toda minha intenção. E só ela pesa,...

ler mais
Adeus

Adeus

Seria fácil despedir em manhã de Sol, muito fácil. Arrumaria malas, que são duas, são poucas; usam pouco teus espaços: travaria fechos, recolheria a foto do porta-retrato, mais minha que tua, que...

ler mais